AOS OLHOS DE…

arte-oficial-amar

RELEASE:
O espetáculo tem como ponto de partida a investigação da peça teatral Terror e Miséria no Terceiro Reich, de Bertold Brecht, associada à outras obras do encenador alemão.
Somam-se a elas fatos históricos como a escravidão e ditadura militar brasileira, que hoje reverberam em situações de racismo, abuso de poder, violência contra mulher e comunidade LGBTQI+, bem como a degradação ambiental, fomentados pelo retrocesso político.
A criação do espetáculo é coletiva e a dramaturgia é composta pela organização poética das ações físico-vocais das atrizes e dos atores, corporificadas em música e dança.
Uma denúncia à crescente retirada de direitos e à banalização da violência.
Uma tentativa de trazer luz às sombras de nossos próprios comportamentos, nos reconectando com nossos afetos. “Aos Olhos De…”
SINOPSE: 
Corpos negros arrancados da terra para servirem na escravidão. Corpos femininos objetificados para servirem patrões. Corpos  marginais aprisionados, impedidos de viver. Corpos estuprados pela força do corpo outro que se coloca superior. Somos corpos vivendo um momento de tomada de decisão, gritamos ou silenciamos, protestamos ou aceitamos.
TEXTO DE DIVULGAÇÃO:
4º  ano de Artes Cênicas – Turma 18 da Universidade Estadual de Londrina apresenta o espetáculo de formatura “Aos Olhos De…”
18/09 à 20/09 – 20h no Cine Teatro Ouro Verde
Distribuição de Ingressos 1hr antes do espetáculo limitado a 150 por apresentação
Colaboração: 1kg de alimento não perecível
Classificação etária: 16 anos 
“VEMOS
A natureza queimar;
As mãos que se levantam;
Corpos marchando;
A morte reinando;
O passado voltando, mas a história se apagando;
Qual futuro haverá?
OUVIMOS
As palavras de ódio;
Os tiros de bala;
Corpos caindo;
Gritos de dor;
O chicote estalando;
As palavras do Senhor roubarem nossos direitos;
Para bom entendedor, meia palavra basta?
FALAMOS
Tecnologia, Diversidade, Educação, Ciência e Arte;
Igualdade na liberdade para as diferenças. Humanos com direitos, o preconceito é conceito de quem é avesso ao amor e respeito.
Você enxerga o que vê?
Você escuta o que ouve?
Ao falar, o outro se cala ou você é calado?”
Texto por Eduardo Borges e Mateus Barboni
FICHA TÉCNICA: 
Elenco: Aline Sales, Amanda Fogaça, Ana Zini, Bruno Bermejo, Bruno Porfírio, Carol Martins, Carol Vaccari, Eduardo Borges, Gabriel Rubim, Gustavo Garcia, Janaína Dias, Julia Malu Sanches, Larissa Azevedo, Larissa Yumi, Letícia Pocaia, Luana Rodrigues, Maria Victória, Mateus Barboni, Mateus Silva, Otavio Bartazzo, Sabrina Arruda Almeida e Victor Laffranchi
Criação Coletiva
Orientação Cênica: Margarida Vine
Assistência Cênica: Ricardo Phillipi
Figurino: Carol Ribeiro
Costura: Carol Ribeiro, Lenita Costa e Acervo do curso de Artes Cênicas
Iluminação: Carol Vaccari
Sonoplastia: Bruno Porfírio e Chris Vine
Assistência de Sonoplastia: Eduardo Borges
Ilustração e Concepção de Arte: Victor Laffranchi
Projeto Gráfico: Letícia Pocaia
Coordenação de Produção: Gustavo Garcia e Letícia Pocaia
Produção Geral Coletiva
Apoio Técnico: Núcleo de Produção da Divisão de Artes Cênicas
Anúncios

– LES GOÛTS RÉÜNIS –

WhatsApp Image 2019-09-12 at 07.55.03

– LES GOÛTS RÉÜNIS –

…ou Novos Concertos ao costume de todos os tipos de instrumentos musicais ampliados com uma grande sonata em trio intitulada “O Parnaso”ou A Apoteóse de Corelli por Mr. Couperin, organista da Capela Real, ordinário da Música de Câmera de sua Majestade, Professor de Composição e Acompanhamento do Sr. Príncipe Duque de Borgonha e atual mestre da Infanta Rainha. – Paris, 1724.

Este é o título da obra de François Couperin, organista de Louis XIV, publicada no ano de 1724, cujo Prefácio diz assim:

“O título deste novo livro, não somente servirá para distinguir daqueles já publicados, mas convém agora para firmar a diversidade de caracter que aí se encontram reunidos. O Gosto Italiano e o Gosto Francês têm partilhado após longo tempo (em França) a República da Música; a meu ver, tenho sempre estimado as coisas que merecem, sem acepção de autores, nem de Nação, e as primeiras sonatas italianas que apareceram em Paris, há mais de 30 anos, e que me encorajaram a compor em seguida, não fazem nenhum mal a meu espírito, nem às obras de Mr. de Lulli, nem àqueles de meus ancestrais que serão sempre mais admiráveis que imitáveis. Assim, por um direito que me dá a Neutralidade, eu sigo a moda sempre sob os alegres auspícios que me tem guiado até o momento.

A Música Italiana tem o direito por antiguidade sobre a nossa (francesa), e se encontrará ao fim deste volume uma grande sonata em Trio, que tem por título, A Apoteóse de Corelli. Uma leve fagulha de Amor próprio me determinou a publicar a partitura. Se algum dia minha Musa se eleva acima dela mesma, ousarei empreender também um outro gênero, daquele do incomparável Sr. Lulli; as quais suas obras devem ser suficientes para o imortalizar.

Os novos concertos que apresento aqui, podem ser unidos sob uma mesma releitura, com os quatro primeiros que já apresentei em meu Terceiro Livro de obras para Cravo: eu devo presumir que os seguidores encontraram por sua conta a maneira regular onde eu os tenho cifrado. Deseja-se que eu apresente meus Trios, mas provavelmente no ano que vem, pelo mês de Julho.”

Este é o momento onde a França após grande resistência começa a aceitar a Música Italiana nos círculos sociais, ainda mais porque uma grande maioria de músicos das várias cortes da França, são enviados à Itália para estudar Contraponto e Harmonia. Com este movimento a “Querelle du Bouffons” perde sua força. E a música começa a se “globalizar”. Compositores franceses começam a escrever suas obras com termos e motivos melódicos e harmônicos, seguindo as grandes escolas de Veneza e Nápoles. Giambattista Lulli, Italiano, é o responsável pela criação do estilo nacional Francês. Após ser reconhecidamente a música da Aristocracia e do Absolutismo francês, a reação xenofóbica a outros estilos que não o apreciado pelo rei, provoca uma Guerra entre os músicos, filósofos, literatas entre outros nobres da corte. Há uma divisão entre lulistas (ou partidários de Rameau e do rei) e dos aficcionados da música italiana ou Bouffons (partidários de J.-J. Rousseau e da rainha que gostava da música italiana). A discussão é bem acirrada e promove um cisma na corte de Louis XV. A gota que derrama o balde foi a instalação da companhia de ópera italiana na Academie de Musique com a apresentação da obra “La Serva Padrona” de Pergolesi.

Em relação às obras apresentadas neste concerto, trazemos música influenciada por estas correntes e pouco conhecidas do público que normalmente frequenta salas de concertos. Como estímulo e desafio aos integrantes, priorizamos os instrumentos de corda – o representante mais italiano da música – o Violino.

Desta forma, Dornel é a visão francesa da música e seus movimentos tem características das danças – suittes … Já Corrette tem uma circulação mais livre e compõe já com as novas tendências, e usa nomes italianos, confirmando o novo modismo …

Ainda temos a participação de Ezequiel Brito – Contratenor Altus e que apresenta uma obra religiosa para a semana santa, do representante totalmente Italiano – Vivaldi.

Encerrando o concerto com um trecho da obra Come ye Sons of the Art, de H. Purcell composta para o aniversário da Rainha Mary em 30 de Abril de 1694.

A Orquestra Barroca Capriccio Stravagante (OBCS), da Divisão de Música da Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina, é o grupo responsável pelo estudo e divulgação dos laboratórios de performance com o repertório dos séculos XVII e XVIII e interpretação historicamente informada.

O Ensemble foi criado em 2015 e vem atuando na cidade e região com a divulgação do repertório variado e que contempla a formação atual.

Com Flautas doces, Violinos, Violas da Braccio e Gamba, Violoncello, Guitarra Barroca, Cravo e Percussão, a OBCS tem a participação, nesta apresentação de hoje,  do Contratenor Ezequiel Brito.

Orquestra Barroca Capriccio Stravagante

Flautas doces: Luciana Schmidt, Luciana N. Hisatomi;

Violinos: Fernando Campaner, Eliseu Machado, Jackson Batista;

Violoncello: Rose Taques;  Guitarra Barroca: Daniel Sebrian

Cravo, Órgão: Gislaine Mafra;  Percussão Antiga: Guilherme Aroceno

Direção Musical e Violas da Gamba: Plínio Machado

Interessados em participar das propostas da área de Música Historicamente Informada podem entrar em contato com a Divisão de Música da Casa de Cultura na Rua Tupi, 210 em horário comercial, ou pelo telefone: (43) 3322 5224.

 

Serviço:
Local: Cine Teatro Universitário Ouro Verde

Dia: 14/09/2019 (Sábado)

Horário: 20h
Ingressos: R$20,00 (Inteira) e R$10,00 (meia)

Na bilheteria do teatro nos dias 12 e 13 das 14h às 18h, no dia 14 até o início do concerto

Classificação Livre

ÓPERA JOÃO E MARIA “HANSEL UND GRETEL”

JOAO E MARIA

Classificação: Livre, com indicação para crianças acima de 5 anos

ÓPERA `JOÃO E MARIA´ VAI ENCANTAR LONDRINA
Superprodução com mais de 30 profissionais será encenada nos dias 24 e 25 de setembro, no Teatro Ouro Verde. Ingressos para as sessões de estreia estão esgotados.

É bom garantir ingressos antecipadamente para assistir à ópera João e Maria, com encenações agendadas para os dias 24 e 25 de setembro, no palco do Teatro Ouro Verde, em Londrina. Isso porque as duas sessões de estreia, na terça (24), já estão
com lotação esgotada. As apresentações em Londrina têm o apoio cultural da Rádio UEL FM.
A promoção é da Cia. Ditirambo Eventos Culturais. Com aval do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná, o Profice, a superprodução é composta por mais de 30 profissionais das artes cênicas entre cantores, músicos, bailarinos e técnicos de som e luz.
Aclamada por 10 mil espectadores, a ópera João e Maria é direcionada, especialmente, ao público infanto-juvenil, a partir dos cinco anos de idade. No entanto, desde a estreia, em 2013, vem encantando pessoas de todas as faixas etárias e classes sociais.
Há bilhetes disponíveis para a segunda encenação de João e Maria, na quarta (25), com sessões às 14h30 e 19h30, no site http://www.aloingressos.com.br. Preços: R$ 30 e R$ 15 (meia entrada).
Escolas e instituições da rede pública e particular, previamente agendadas, podem obter pacotes promocionais. Mais informações pelo e-mail alcioneagenda@ditirambo.com.br ou através dos telefones: (41) 3018-8865 ou (41) 9192-1937.

Grande procura por ingressos

Surpreendente a procura por ingressos, em Londrina. Não só instituições de ensino, mas também por espectadores de todas as idades. Famílias, por exemplo, estão adquirindo bilhetes antecipadamente. “Nossa intenção principal é a formação de plateia, através de um espetáculo belíssimo”, afirma Salete Cercal, respeitada produtora paranaense.
Ela é fundadora e dirigente da Cia. Ditirambo Eventos Culturais, responsável pela montagem, cuja turnê estadual será iniciada em Londrina. Viabilizada pelo Profice, João e Maria conta com apoio da Copel, Havan e Nutrimental. Depois de Londrina, o espetáculo prossegue para Cascavel, Guarapuava, Ponta Grossa e Maringá.

Efeitos especiais, canto e legendas em português

Um impressionante aparato artístico e técnico será empregado para narrar o clássico
conto alemão dos irmãos Grimm (Jacob e Wilhelm), publicado em 1812, sob o título
Hänsel und Gretel.

Efeitos especiais e legendas em português são alguns recursos cênicos utilizados para contar a história dos irmãos João e Maria, que num belo dia, vão colher amoras na floresta e, para não se perderem do caminho de casa, espalham migalhas de pão no chão.
A trilha, no entanto, serve de comida aos passarinhos. Na tentativa de retornar ao lar humilde, os irmãos se defrontam com uma casa feita de doces, onde mora uma bruxa.
Con vidados a entrar, João e Maria fartam-se de guloseimas e são mantidos reféns.
Era uma emboscada. A bruxa queria devorá-los. Após muitas aventuras e espertezas, compartilhadas com o público, os irmãos conseguem se livrar.
A empatia é estabelecida imediatamente com a plateia. Leveza e humor contornam o espetáculo da Cia. Ditirambo Eventos Culturais, com tradução e adaptação da educadora musical Lúcia Vasconcelos Jatahy, responsável também pela direção artística.
“A arte é uma grande ferramenta de ensino. Queremos ampliar o conhecimento das crianças, motivá-las a gostar de ópera desde a tenra idade. Aliás, as crianças deveriam ter acessos mais constantes a todas as manifestações artísticas. `João e Maria´ é, sobretudo, um projeto didático-pedagógico e de inclusão”, analisa Salete Cercal, produtora executiva
A montagem, vertida à realidade brasileira, conta com Luiz Néri Pfützenreuter, na direção musical, e com Jul Leardini, na direção cênica.

SERVIÇO

Ópera “João e Maria”.
Encenações:

Dia 24 de setembro com sessões às 9h30 e 14h30 (Ingressos esgotados).

Dia 25 de setembro com sessões às 14h30 e às 19h30.

Local: Teatro Ouro Verde (Rua Maranhão, 85), Calçadão de Londrina.

Duração: aproximadamente 80 minutos.
Classificação: livre, com indicação para crianças acima de cinco anos.
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia entrada).
Ingressos à venda: http://www.aloingressos.com.br
Pacotes promocionais e adesões instituições de ensino:
alcioneagenda@ditirambo.com.br
Realização: Ditirambo Eventos Culturais/ http://www.ditirambo.com.br

Antônio Mariano Júnior

Assessoria de Comunicação Ópera João e Maria
Contatos: (43) 99987.0698/WhatsApp ou
através do e-mail: antoniomarianojr@gmail.com

A Ditirambo Eventos Culturais, produtora deste evento é responsável exclusiva pela realização do evento, inclusive por atrasos, mudança de horário, cancelamentos, bem como pela obrigação de restituição do valor pago pelo Bilhete.

Christiane Torloni como Maria Callas

CRISTIANE TORLONI

Londrina recebe um dos mais premiados e aclamados espetáculos da Broadway!

Christiane Torloni nos presenteia com todo seu talento interpretando um momento da vida de “La Divina”, Maria Callas, uma das mais marcantes personalidades femininas do século XX, considerada a mais influente cantora de ópera de sua época e a maior soprano de todos os tempos.
Também ficou muito famosa pela sua conturbada vida pessoal, principalmente devido ao seu relacionamento com o bilionário grego Aristóteles Onassis.

Garanta seu ingresso: http://bit.ly/2lGQE0u
Local: Teatro Ouro Verde
Datas: 27 (Sex. às 21h), 28 (Sábado às 21h) e 29 de setembro (Domingo às 19h)
Preços: R$ 50,00 (meia entrada) e R$ 100,00 (inteira) + taxa de serviço

Indicação etária: 12 anos

Não haverá bilheteria no Teatro

CRISTIANE TORLONI 2

 

“Família Bach e Piazzolla”

OSUEL Temporada 12set2019

Orquestra Sinfônica da UEL realiza nesta quinta-feira, dia 12, o 6º Concerto da Temporada Ouro Verde 2019, sob a regência do Maestro Alessandro Sangiorgi. Com o tema “Família Bach e Piazzolla”, embora eclético, o concerto possui em Johann Sebastian Bach o elo de ligação de todo o programa. A primeira parte trará composições, tanto do grande mestre alemão – o “Bach pai” – como também composições de dois de seus filhos do primeiro casamento: Wilhem Friedemann Bach (o primogênito) e Carl Philipp Emanuel Bach (o segundo filho). A família Bach compõe uma verdadeira dinastia musical, já que grande parte de seus membros foram compositores e/ou músicos reconhecidos por gerações.

A segunda parte do programa será dedicada ao compositor Astor Piazzolla que revolucionou o tango argentino, trazendo refinamento e erudição ao gênero. Piazzolla começou a tocar bandonéon de forma autodidata aos 9 anos de idade e sua primeira instrução formal no instrumento foi executar composições de Johann Sebastian Bach a partir de partituras de piano (seguindo a orientação de seu vizinho e primeiro professor de música, o pianista húngaro Bela Wilda, discípulo de Rachmaninoff). Anos mais tarde Piazzolla referiu-se a Wilda dizendo: “com ele, aprendi a amar Bach”. De Piazzolla, brindando a chegada da Primavera, serão executadas pela OSUEL as famosas “Quatro Estações Portenhas” – conjunto de composições escritas entre 1965 e 1970, que ilustram os sentimentos dos “porteños” (habitantes da cidade de Buenos Aires) nas diferentes estações do ano. Trata-se de uma obra de grande vigor e melancolia, com diversos solos entre os naipes. Para encerrar o concerto, será apresentada a mais representativa obra de Piazzolla: “Adios Nonino” – composta em homenagem ao pai, logo após seu falecimento.

A OSUEL está apoiando a Campanha “Setembro Lilás” de Conscientização da Doença de Alzheimer. Antes do concerto haverá a distribuição de material informativo por voluntários do Instituto Não Me Esqueças (Instituto Londrinense de Alzheimer), do qual a UEL é co-realizadora, através do GESEN (Grupo de Estudos Sobre o Envelhecimento), ao lado de outras entidades. O Instituto tem como objetivos sensibilizar a sociedade sobre a importância do cuidado e diagnóstico precoce da Doença de Alzheimer e também proporcionar informação e suporte aos familiares e cuidadores. A Campanha “Setembro Lilás” é mundial e o tema deste ano “…Vamos Conversar sobre Demência”, visa conscientizar a população sobre sintomas do Alzheimer, modos de diagnóstico e formas de tratamento.

Serviço

Concerto da Orquestra Sinfônica da UEL

Data: 12/09, quinta-feira

Horário: 20h30min

Local: Teatro Universitário Ouro Verde

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia) à venda no Teatro Ouro Verde dias 09, 10, 11 e 12 (das 14h às 19h, no dia 12 até 15 minutos antes do concerto)

Trio Harmonitango apresenta Uma noite com música de Piazzolla

post_redes_sociais

Uma noite com música de Piazzolla – Trio Harmonitango

A Série Palcos Musicais traz para Londrina uma noite dedicada ao grande compositor argentino Astor Piazolla. No dia 21 de setembro (sábado), às 20h30, no Teatro Ouro Verde, o Trio Harmonitango, formado por José Staneck (harmônica), Ricardo Santoro (violoncelo) e Sheila Zagury (piano) apresenta repertório imperdível.

Através da fusão de seus estilos, os músicos encontram na obra de Astor Piazzolla uma maneira de se expressar de forma emocionante e vibrante, valorizada pela riqueza tímbrica da harmônica, do violoncelo e do piano, criando uma sonoridade surpreendente dentro de uma obra fascinante.

Os ingressos custam R$20 e R$10 (meia-entrada) e podem ser adquiridos online: www.sympla.com.br/palcos2019, no O Armazém Café (R. Belo Horizonte, 701) e também na Bilheteria do Teatro Ouro Verde (R. Maranhão, 85 – sempre a partir das 14h). Clientes Unimed e Clube do Assinante Folha de Londrina também pagam meia-entrada.

Sobre o Trio Harmonitango

Criado em 2010, o Harmonitango já se apresentou em diversas salas de concerto do Brasil, sempre com muita receptividade do público e da crítica especializada, e tem como seu principal objetivo a divulgação da música de Piazzolla. Em 2017, lançaram seu primeiro CD, “Harmonitango”, obtendo grande repercussão na imprensa nacional e internacional.

Sobre a Série Palcos Musicais

A série Palcos Musicais é organizada pela Apolônia Produções Culturais, tem o patrocínio do Ministério da Cidadania/Secretaria Especial de Cultura, Unimed Londrina, BRDE e John Deere; e conta com o apoio da Folha de Londrina, Casa de Cultura da UEL, Secretaria Municipal de Cultura, O Armazém Café, UEL FM, Rádio CBN, ACIL e Hotel Bourbon.

Serviço:
Data: 21/09/2019 (sábado)
Local: Teatro Ouro Verde (R. Maranhão, 85)
Horário: 20h30
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Pontos de venda: online (www.sympla.com.br/palcos2019), O Armazém Café (R. Belo Horizonte, 701) e Bilheteria Ouro Verde (das 14h às 18h, no dia do concerto até o início da apresentação).
Informações: (43) 99938-4003

“BODAS DE CAFÉ”, De Nitis Jacon de Araujo Moreira e Grupo PROTEU

Livro_Sonia Pascolati

Lançamento de livro

BODAS DE CAFÉ

De Nitis Jacon de Araujo Moreira e Grupo PROTEU

Organização, notas e textos críticos: Sonia Pascolati

28 de agosto | 19 horas

Saguão do Teatro Ouro Verde
(Rua Maranhão, 85)

Editora da UEL (EDUEL), 242 pág.

Preço de lançamento: R$ 25,00

No ano em que completa de 40 anos, o Grupo PROTEU ganha um presente especial: a reedição do texto de uma de suas montagens mitológicas, Bodas de Café, momento marcante do teatro independente brasileiro. Escrita por Nitis Jacon, em modelo colaborativo com o PROTEU, a peça está no livro que a professora Sonia Pascolati, do Departamento de Letras da UEL, lança nesta quarta-feira (28), às 19 horas, no saguão de Teatro Ouro Verde, dentro da programação do FILO 50+1. No mesmo dia, às 20h30, o PROTEU sobe ao palco do Ouro Verde para apresentar seu mais recente espetáculo,“Tango”.

Bodas de Café, uma publicação da EDUEL, traz notas e textos críticos de Sonia Pascolati, que organizou todo o material que resgata a dramaturgia e parte importante da história do PROTEU, fundado em 1978. Bodas de Café reuniu um elenco de 29 atores, com direção de Nitis Jacon, atriz, diretora e produtora, que foi vice-reitora da UEL de 1994 a 1998. A montagem trouxe a história de Londrina a partir da perspectiva dos cidadãos comuns,como o trabalhador rural, o corretor de imóveis, a prostituta… O espetáculo marcou as comemorações do então 50 anos de Londrina, sendo apresentado ao público em dezembro de 1984, no Teatro Ouro Verde. A estreia ocorreu meses antes, em julho, na Casa de Cultura da UEL. Logo após o grupo seguiu para o Rio de Janeiro, onde se apresentou no projeto Mambembão, com grande repercussão. O espetáculo foi apresentado 88 vezes, entre 1983 e 1984. Bodas de Café foi primeiro texto produzido coletivamente pelo grupo. A pesquisadora considera um marco na trajetória do Proteu pela grande repercussão da peça, qualidade do texto e versatilidade cênica. Para a pesquisadora, o o livro dá visibilidade a este trabalho, que também remonta à própria história da UEL, uma vez que o Proteu era academicamente ligado à Universidade, inicialmente como Projeto de Extensão e depois integrando a Divisão de Artes Cênicas da Casa de Cultura.

O livro é resultado de pós-doutorado de Sonia Pascolati no Programa de Pós-Graduação em Literatura e Interculturalidade da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB – 2018). Dramaturgia e teatro moderno e contemporâneo têm sido o foco dos projetos de pesquisa da professora desde o doutoramento. Para realizar a pesquisa, Sonia fez um levantamento de documentos relacionados ao espetáculo como ficha técnica, historiografia, material manuscrito, além do próprio texto datiloscrito original. O texto de “Bodas de Café” foi submetido ao então Departamento de Polícia Federal, do Ministério da Justiça, para Classificação Etária e Certificado de Censura. Complementam a pesquisa 12 entrevistas com integrantes do Proteu, que participaram da montagem. O livro traz o texto original, um prefácio contextualizando o trabalho do grupo e um posfácio com uma análise mais técnica sobre o espetáculo e o grupo.

O livro tem preço de capa a R$ 50,00, mas durante o lançamento no saguão do Teatro Ouro Verde nesta quarta, às 19h,será comercializado a R$ 25,00. Além de Londrina, a obra também deverá ser lançada em Curitiba, durante o evento acadêmico do GT de Dramaturgia e Teatro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (ANPOLL), que será realizado de 11 a 13 de setembro. Posteriormente haverá nova sessão de autógrafos no Letra e Ato, que será realizado em Campinas (SP), de 23 a 25 de outubro. 

SERVIÇO:

Festival Internacional de Londrina – FILO 2019

De 15 de agosto a 1 de setembro

Patrocínio:Lei de Incentivo à Cultura, Copel, Governo do Estado do Paraná e Bratac.

Apoio: Sicredi, Midiograf, Viação Garcia, Unimed, Sesi Cultura, Crillon Palace Hotel, La Comédie, Núcleo dos Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil, Editora Cobogó, Ciranda, Bella Vista, Rádio UEL FM. Apoio institucional: Prefeitura de Londrina – Secretaria Municipal de Cultura e Associação Médica de Londrina.

Realização: Universidade Estadual de Londrina, Palipalan Arte e Cultura, Secretaria Especial da Cultura e Ministério da Cidadania.

Mais informações: www.filo.art.br

Assessoria de Comunicação FILO 2019

FILO2

Projeto Música Criança apresenta “Um Circo Ainda Mais Diferente”

67627988_354241392194266_1596445524381138944_n

Ouro Verde recebe espetáculo infantil Um Circo Ainda Mais Diferente

O projeto Música Criança, do Departamento de Música e Teatro, do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA) e o Estúdio Musical Flauta e Fole apresentam no dia 07/09 (sábado), às 17 horas, o espetáculo “Um Circo Ainda Mais Diferente”. O espetáculo será no Teatro Ouro Verde (Rua Maranhão, nº 85 – Centro). Os valores das entradas são de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

O evento é um trabalho do projeto, cujo objetivo é reunir músicas do espetáculo “Um circo diferente”, em que há músicas folclóricas tocadas com flauta doce e acordeom. O espetáculo traz palhaços flautistas e acordeonistas que darão um show com uma banda muito especial. No palco, alunos do curso de Música, do CECA, além de alunos do Estúdio Musical realizam uma divertida vivência de performance teatral e musical.

Projeto – Idealizado e coordenado pela professora Helena Loureiro, o Música Criança teve início em 2007. O projeto, que une produção musical e a educação musical, tem como objetivo acrescentar à programação musical de Londrina e região uma produção voltada para o público infantil, com direito a espetáculos em diferentes espaços culturais da cidade, entre teatros e anfiteatros, e escolas de Ensino Fundamental e Educação Infantil.

Mais informações pelo telefone (43) 9 9842-6983

Serviço

Espetáculo “Um Circo Ainda Mais Diferente”.

Local: Cine Teatro Universitário Ouro Verde.

Dia: 7 de setembro, às 17 horas.

Ingressos:

R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

Já podem ser adquiridos na Bilheteria do Teatro das 14h às 18h até sexta-feira e no dia das 14h até o início do concerto.

 

Acústico Blues Trio convida Osuel

ABT+ OSUEL

9º Festival Blues de Londrina apresenta:

Acústico Blues trio convida Osuel sob a regência do Maestro Vitor Gorni

Serviço:

Acústico Blues Trio Convida OSUEL – Quinta-feira (dia 05/09), às 20h30, no Teatro Ouro Verde UEL (R. Maranhão, 85), em Londrina. Classificação: livre.

 INGRESSOS:  Ingressos R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia), na bilheteria do Teatro das 14h às 18h (no dia até o início do show) e na plataforma Sympla

https://www.sympla.com.br/9-festival-blues-de-londrina—acustico-blues-trio-convida-osuel__619250

 

 

 

FILO entra na reta final com espetáculos para todas as idades

FILO2

Agência UEL 

O Festival Internacional de Londrina (FILO) entra na reta final com uma programação marcada pela presença de grupos internacionais. Hoje, segunda (26) estreia o Grupo Humo Negro, da Argentina com o espetáculo “Quiero Decir Te Amo”, às 20 horas, na Divisão de Artes Cênicas (DAC). O grupo vem da Patagônia, mais precisamente de San Martín de Los Andes, a direção do espetáculo é de Juan Parodi, reconhecido por sua produção artística, sua sensibilidade e compromisso criativo.

O desafio da montagem argentina foi dar corpo e alma para o texto “Quiero Decir te Amo” (Quero Dizer Te Amo), de Mariano Tenconi Blanco, um dos expoentes da dramaturgia latino-americana. Na trama, duas mulheres encontram na literatura um refúgio para as incertezas do amor. Uma delas se apaixona por um homem que conhece num acidente automobilístico e começa a lhe enviar cartas de amor, que logo são encontradas pela esposa do destinatário. Essas cartas passam a ser a fonte de inspiração para os escritos do diário íntimo da esposa.

A simplicidade cênica e a sensibilidade, reforçada pela cenografia de Valeria Conte Mac Donell chamam a atenção, pois revelam um amor que não se materializa no encontro dos corpos, mas apenas no choque das palavras. “Quiero Decir te Amo” estreou em 2016 e desde então vem excursionando por toda a América Latina e, mais recentemente, Estados Unidos e Europa. Esse é um dos espetáculos mais procurados pelo público londrinense, desde a abertura da bilheteria. O grupo se apresenta novamente na terça-feira (27), sempre às 20h, na DAC.

Ainda na segunda-feira, o coletivo londrinense AntiQua4?Rio traz os ritmos da Bossa Nova para o palco do Teatro Ouro Verde, com o espetáculo cênico-musical “Chega de Saudade”. Estamos no final dos Anos 50, época de grandes mudanças no Brasil e compositores e intérpretes querem experimentar um novo jeito de fazer música. Nesse cenário, quatro personagens se fundem a duas cidades brasileiras. De um lado, um Rio de Janeiro badalado, centro de uma revolução musical – Berço de Maria Tereza e Antônio, jovem casal apaixonado que se vê diante de um obstáculo imprevisto.

De outro, Londrina, uma jovem cidade no Norte do Paraná, crescendo e se desenvolvendo a todo vapor. Terra dos irmãos Glorinha e Beto. “Chega de Saudade” traz para a edição 50 + 1 do FILO uma rara reunião de grandes músicos da cena sonora de Londrina, que acompanham ao vivo as peripécias dos personagens Maria Tereza, Antonio, Glorinha e Beto, os personagens que contam e cantam a suas histórias.

A criançada têm lugar garantido durante a última semana de programação do FILO 2019. O Pequeno Teatro do Mundo, companhia itinerante de Bragança Paulista, chega à cidade para três apresentações do espetáculo “O Menino e os Sortilégios”, ópera de Maurice Ravel para crianças.

Na terça (27), quarta (28) e quinta (29), no Centro Cultural Sesi/AML, às 19h30, marionetes ganham o palco para contar a história de um garoto que enfrenta suas emoções numa jornada de descobertas. Através dos sortilégios e encantamentos, ele assiste os objetos ganharem vida e, deslumbrado com os prodígios da existência, vai construindo uma forma de viver mais humana e generosa, que ilumina o seu lento amadurecimento. Os espetáculos conta com tradução para LIBRAS.

A semana ainda recebe o Grupo Proteu, criado por Nitis Jacon há 40 anos, com a montagem “Tango” de volta à cena teatral londrinense depois de um hiato de 20 anos. O premiado diretor William Pereira – que começou sua história no grupo – assina a direção do espetáculo, atração do FILO no Teatro Ouro Verde na quarta (28) e quinta (29), sempre às 20h30. Tango, texto do dramaturgo polonês Slawomir Mrozek, mostra um conflito de gerações às avessas, uma família de qualquer tempo, numa casa onde quem se incomoda com a falta de regras e valores é o jovem Arthur. Uma releitura contemporânea e nada convencional de Hamlet ? em que o príncipe é substituído por um adolescente conservador que desaprova a promiscuidade dos pais.

Dividindo a grade de programação e o teatro com os veteranos da cena londrinense, tem a estreia de “Noturno”, com os jovens atores da Escola Municipal de Teatro/Funcart, às 16h, na quinta (29), no Saguão do mesmo teatro. Na montagem, uma declaração de amor pelo Cine Teatro Ouro Verde que se transforma em crônica, peça de teatro e tour pelas paredes da memória.

O público passeia entre rampas e corredores, hall e camarins do cinema que se tornou teatro em 1978, quando foi comprado pela Universidade Estadual de Londrina e transformado na casa de espetáculos que entrariam para a história de vida de centenas de artistas. Além do prédio, muitas lembranças de momentos mágicos em seus quase 70 anos de existência – como a inauguração em techncolor com a presença dos chefões dos estúdios de Hollywood ou as performances de grandes artistas, como Elis Regina, Kazuo Ono, Antunes Filho e Astor Piazzola. Ingresso gratuito.

Inaugurando o final de semana, na sexta-feira (30), tem o monólogo com o londrinense Murilo Andrade, “Poéticas de Terra e Céu”, às 20h, na Divisão de Artes Cênicas. Na trama, as aventuras e desventuras de uma criança que olha o mundo com o olhar da imaginação. Esse menino que se mistura ao homem feito, confundindo memória de leituras e vivências, reinventando o mundo a partir de um olhar poético que acende a imaginação e faz do passado uma invenção do presente.

O espetáculo é resultado da pesquisa de Murilo de Andrade sobre o processo de reflexão e realização de um trabalho individual. A criação alinha os fundamentos da preparação do ator com a dramaturgia da lembrança, a dinâmica com objetos e a poética da terra, que diz respeito aos sentimentos e emoções como o amor, a esperança, a saudade, vida e morte. O solo traz referências do universo poético de João Guimarães Rosa e da obra do poeta Manoel de Barros, especialmente na essência dos seus livros “Infantis”, “O Guardador de Águas” e “Concerto a Céu Aberto para Solos de Aves”. Textos e canções autorais também embalam as estórias onde a poesia se suja de terra, dança com o vento e escorre nas águas da memória.

Ainda na sexta-feira, às 19h30, tem a Companhia Circo Rodado, de Curitiba, no Centro Cultural SESI/AML. Um trio de palhaços que tem que dar conta das atrações de um circo inteiro. Em Reprises Pareadas, a Cia. Circo Rodado desenvolve uma curiosa pesquisa sobre reprises, gags e as tradicionais entradas circenses populares. Os integrantes são oriundos de diferentes escolas circenses e desenvolvem trabalhos diversos se apresentando em ruas, praças, salas, lonas e teatros, valorizando sempre a interatividade e ainda desenvolvem trabalhos como palhaços em hospitais. Ingresso gratuito, basta retirar a entrada no local, meia-hora antes do início do espetáculo (lotação limitada, por ordem de chegada).

No sábado, a Escola Municipal de Teatro volta à programação do FILO, com o espetáculo Procure a Menina com o Sol em Seus Olhos, no Museu Histórico de Londrina (gratuito, com lotação limitada), às 16h. O prédio da antiga estação ferroviária de Londrina guarda histórias malucas e por sua plataforma multicultural já passou gente de todo o tipo, falando mil línguas, vestida de todo o jeito no mais de meio século em que seus trilhos conectaram Londrina ao mundo.

Personagens fugidos da memória de Kelly, a personagem cuja trajetória conduz o espetáculo. Uma mulher que está perdendo a memória, que acredita que toda sua vida está numa gaveta, onde guarda suas lembranças e onde vivem os personagens folclóricos da cidade. Mas um dia, as suas lembranças começam a se apagar ainda mais e os personagens resolvem fugir e se espalham pela cidade. Personagens e plateia fazem juntos um passeio pela memória viva de Londrina – a memória das histórias e dos personagens de uma comunidade multicultural.

Para encerrar a maratona do FILO 2019, chega à Cidade os italianos do Teatro Potlach com a montagem multimídia Vinte Mil Léguas Submarinas, no sábado (31), às 20h30, no Teatro Ouro Verde. Atores e um cenário digital na releitura das aventuras do capital Nemo e o seu submarino Náutilus que encantaram gerações.

Desde que a história surgiu, em 1869, ainda em forma de folhetim nas páginas de um magazine parisiense, Vinte Mil Léguas Submarinas vem se prestando a incontáveis adaptações – do cinema à TV, dos quadrinhos à animação, pioneiro num gênero que ainda viria a se chamar “ficção científica”. Pelas mãos do grupo italiano, os efeitos de imagens visionárias sugeridas pelas páginas do livro são reconstruídos a partir da união de narrativas próprias do teatro dramático com as técnicas de cenografia digital.

As descobertas científicas, suas aplicações e implicações são o substrato das invenções propostas pelo Potlach para contar a saga daqueles novos heróis que ousavam confrontar o futuro. Multimídia, o espetáculo retoma e atualiza temas da relação entre homem e natureza, atravessando questões relacionadas ao meio ambiente, à ecologia e a problemas existenciais importantes a partir de um ponto de vista social.  

Esses temas urgentes se potencializam no trabalho interdisciplinar entre teatro, música, cenografia digital e videoarte. O resultado no palco é uma simbiose entre as ações dos atores e os componentes interativos proporcionados pelas novas tecnologias. No domingo (01 de setembro), último dia do FILO, serão duas sessões do espetáculo, uma às 16h e outra às 20h30, no Teatro Ouro Verde.

INGRESSOS – Os ingressos para o FILO 2019 podem ser adquiridos pela internet no site http://www.diskingressos.com.br e também nos pontos de venda: Óticas Diniz (em horário comercial e também no Catuaí Shopping e Norte Shopping) e Empório Amadeus (Mercadão da Prochet – Avenida Harry Prochet, 305 – Box 95 – Terça a sexta, das 12h às 22h, sábado, das 10 às 20h, domingo, das 10h às 14h).

Ingressos a R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada). O FILO concede os benefícios de meia-entrada estabelecidos por lei e também dá descontos a clientes e empregados das empresas patrocinadoras. Basta apresentar um documento comprobatório. A listagem completa dos benefícios está disponível no site http://www.filo.art.br.

O FILO 2019 é uma realização da Universidade Estadual de Londrina, Palipalan Arte e Cultura, Secretaria Especial da Cultura e Ministério da Cidadania, com patrocínio da Lei de Incentivo à Cultura, Copel, Governo do Estado do Paraná e Bratac, apoio do Sicredi, Midiograf, Viação Garcia, Unimed, Sesi Cultura, Crillon Palace Hotel, La Comédie, Núcleo dos Festivais Internacionais das Artes Cênicas do Brasil, Editora Cobogó, Ciranda, Bella Vista, Rádio UEL FM e apoio institucional da Associação Médica de Londrina. Patrocínio: Lei de Incentivo à Cultura, Copel, Governo do Estado do Paraná e Bratac.

Mais informações: http://www.filo.art.br.

(Com informações e FOTO da Assessoria de Imprensa do FILO 2019)